Afetados por fechamento de feiras na pandemia, pequenos produtores recorrem a programas de aquisição de alimentos em Cerejeiras

26/05/2021 13:45

Os programas governamentais de aquisição de alimentos de pequenos produtores rurais têm sido um auxílio valioso para o homem do campo em Cerejeiras.
 
Com a pandemia, muitos pequenos produtores tiveram uma dificuldade adicional que vender sua produção.
 
As feiras, principais locais de comercialização para muitos deles acabaram sofrendo os efeitos das medidas restritivas da prevenção e combate à Covid-19.
 
Em Cerejeiras, por exemplo, houve momentos em que a feira municipal foi completamente fechada. Mesmo quando pode funcionar, o medo dos frequentadores acaba reduzindo o movimento.
 
A alternativa tem sido o pequeno produtor optar pelos programas governamentais de aquisição de alimentos para a merenda escolar.
 
No ano de 2020, o município de Cerejeiras recebeu R$ 83.571,30 em recursos do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), do governo federal.
 
O governo de Rondônia também lançou um programa deste molde em plena pandemia. O PAA estadual enviou R$ 6.499,53 para o município de Cerejeiras em 2020.
 
Segundo o servidor da Secretaria Municipal de Agricultura, Alfredo Prudente, cada pequeno produtor pode vender até certo valor para o setor público. “O valor máximo por cada produtor é de R$ 6.500,00. A compra é feita direto do agricultor, sem licitação, mas com preços tabelados pelo próprio programa”, explica o servidor.
 
Para os recursos do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), por exemplo, um mínimo de 30 por cento do volume total da verba que vem para o município tem que ser para aquisição de alimento diretamente do produtor.
 
Os pequenos agricultores de Cerejeiras têm aproveitado esta oportunidade. Eles vendem abóbora, inhame, ovos e abacaxi, dentre outros alimentos.
 
Durante a pandemia, as aulas presenciais das escolas públicas foram interrompidas. Mas os programas de aquisição de alimentos permaneceram. Ao invés de terem sido destinados à merenda escolar, os produtos passaram a compor cestas básicas destinadas às famílias dos estudantes. Em Cerejeiras, foram distribuídas mais de 500 cestas desde o início da pandemia, segundo dados da prefeitura.
 
Marcos Firme, conhecido como Marquinhos, é um dos pequenos produtores que vendem parte de sua produção para o setor público. Na pequena propriedade, que fica na Linha 2, entre o 4º para o 5º Eixos, o agricultor cultiva uma variedade de alimentos, incluindo inhame e batata-doce. “Essas vendas para o município ajudam. É um dinheirinho a mais”, diz o produtor.
 
Prestando assessoria técnica na propriedade de Marquinhos e de vários outros pequenos produtores contemplados nos programas de aquisição de alimento, o diretor da Emater em Cerejeiras, Sandro Malta Xavier (na foto, junto com o produtor Marquinhos), afirma que a iniciativa ajuda a inserir mais renda no município. “Os programas de aquisição de produtos da agricultura familiar é uma iniciativa que incentiva o produtor a produzir ainda mais”, disse.
 
Fonte: Folha do Sul

Voltar

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!